Notícias 06/10/2020 - 12:32 - Thelma Maranhão

Nesse Outubro Rosa, PGE e Aproeto lançam campanha "Juntas"

40CD6FEE-96A7-4364-BE5A-929505871107.jpeg 40CD6FEE-96A7-4364-BE5A-929505871107.jpeg -
9E24C3D7-2184-466C-AAF4-ADE4870F2D43.jpeg 9E24C3D7-2184-466C-AAF4-ADE4870F2D43.jpeg -

Em alusão ao Outubro Rosa, mês internacional de prevenção ao câncer de mama, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e a Associação dos Procuradores do Tocantins (APROETO, lançaram, nesta terça-feira, 06, a campanha Juntas, com intuito de conscientizar as procuradoras e servidoras sobre o combate ao câncer de mama por meio do autoexame e da mamografia. 

A ação conta com a participação das procuradoras associadas, Thais Rocha, Patricia de Alvarenga, Maria das Graças Bastos e da servidora da PGE, Raimunda da Silva, que relatam suas experiências com a doença por meio de fotos e vídeos durante o mês.

O câncer de mama é o mais incidente na população feminina mundial e brasileira, excetuando-se os casos de câncer de pele não melanoma. Com foco em sensibilizar o público feminino sobre a importância do autoexame e da mamografia como método de prevenção ao câncer, a presidente da Associação, procuradora Ana Flávia Cavalcante, lembra às mulheres que essa prática deve ser algo realizado durante todo o ano. “O mês de outubro traz visibilidade para essa temática, mas conscientizar por meio da informação é um ato de combate a doença que deve ser feito constantemente. E o relato das nossas colegas é um alerta com a sensibilidade de quem já passou por esse tipo de situação e pode falar com propriedade” disse. 
 
*Autoexame*

De acordo com as recomendações do Ministério da Saúde, a postura atenta das mulheres no conhecimento do seu corpo contribui para a identificação de alterações suspeitas, indicando que procurem um serviço de saúde o mais cedo possível, permanece sendo importante para o diagnóstico precoce do câncer de mama. Foi o caso da procuradora Patricia de Alvarenga, que aos 31 anos conseguiu detectar uma anormalidade e buscou ajuda médica. “Ao realizar o autoexame notei um nódulo na mama direita, imediatamente procurei meu médico e após uma biópsia, descobri que possuía uma hiperplasia atípica, que poderia tornar-se um carcinoma. Como consegui detectar o nódulo precocemente, foi necessário apenas retirá-lo com margem de segurança e acompanhar com exames  regulares,” contou.  

A procuradora afirma que o autoconhecimento pode ser uma ferramenta eficiente de prevenção ao câncer. “É muito importante se conhecer, realizar o autoexame e procurar periodicamente seu médico visando prevenir a doença e suas complicações. Quanto antes for detectada alguma anomalia, maiores as chances de cura e de um tratamento menos invasivo,” disse.  

*Diagnóstico*

Segundo Thaís Ramos Rocha, procuradora do Estado, por meio dos exames de mamografia que ela realizava regularmente foi possível descobrir no ano de 2013 que possuía câncer de mama do tipo Carcinoma Interductal (invasivo nível III), após passar por 5 anos de tratamento envolvendo cirurgias, quimioterapia, radioterapia conseguiu vencer a doença. “Eu fiquei com algumas sequelas, mas câncer hoje eu não tenho. Para as mulheres que se encontram nessa situação, recomendo que elas tenham esperança. O tratamento do câncer evoluiu muito e em muitos casos ele é curável.  Nossa alegria, esperança e força de vontade são muito importantes para que a gente não se entregue à doença. Temos que aceitar o que nós estamos vivendo, as nossas dificuldades, as doenças em si, mas temos que esperar e confiar no melhor, tomando as medidas necessárias o quanto antes,” relatou esperançosa. 

*Superação*

Para a procuradora Maria das Graças de Carvalho Bastos, que descobriu que possuía Carcinoma Lobular Invasivo aos 53 anos durante visita ao mastologista, ter fé e suporte familiar foi fundamental para auxiliá-la a enfrentar este momento delicado de tratamento do câncer. “Após a cirurgia, o tratamento inicial durou aproximadamente de 8 a 9 meses, incluindo radioterapia e hormonioterapia adjuvantes. Porém, o meu tratamento com medicamentos durou 7 anos. Ter fé em Deus e apoio da família, dos amigos e amigas, em especial os da PGE, e dos médicos, foi muito importante, para o enfrentamento, me tornando mais fortalecida para  a superação desse momento,” relatou. 
 
*Colo do útero* 

Embora o foco da campanha Outubro Rosa seja o combate ao câncer de mama, a iniciativa também alerta para outras temáticas da saúde da mulher. A servidora da Procuradoria-Geral do Estado do Tocantins, há 25 anos, Raimunda Alves da Silva, também participou da campanha compartilhando a sua história de uma lesão no colo do útero, mas que por ter sido tratada precocemente, não evoluiu para um câncer. 

*Câncer de mama no Tocantins*

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), no ano de 2020 conforme localização primária, houve incidência de 66.280 novos casos de câncer de mama no Brasil durante o primeiro semestre do ano. Já no Tocantins, durante o ano de 2019 foram diagnosticados 288 novos casos de câncer de mama, em 2020 entre os meses de janeiro e julho 168 pessoas foram acometidas pela doença. 

Com informações e edições da Ascom Aproeto- Gabriela Santos, Sarah Pires e Sarah Tamioso